estrutura dos tres atos
Como Escrever Um Livro

A Estrutura de Três Atos: Planejamento e Escrita do Livro

A estrutura de três atos é uma técnica narrativa bastante comum entre romancistas e roteiristas. Não somente, mas amplia a visão de começo, meio e fim de uma história, definindo marcos em cada ato.

Neste artigo, vamos conhecer melhor cada um dos três atos, seus pontos de virada e estrutura de narrativa.

O que é a estrutura de três atos?

O filósofo Aristóteles é o primeiro que analisou a narrativa de três partes, identificando ligações em pontos de virada que lançavam a narrativa em uma direção específica. Além disso, a estrutura tradicional de três atos segue as seguintes etapas:

  • I Ato – Configuração: Introdução, Incidentes e Iniciações, Ponto de Enredo Um
  • II Ato – Confronto: Ascenção da Aventura, Ponto Médio, Ponto de Enredo Dois
  • III Ato – Resolução: Pré-clímax, Clímax, Desfecho
desenho da estrutura de tres atos

Dentro de cada uma das etapas, um evento de enredo acontece como pode ser visto na imagem acima. Portanto, podemos interpretar que as histórias que seguem esta técnica são uma cadeia de eventos com causas e efeitos.

Agora que conhecemos o conceito, vamos nos aprofundar em como funciona.

Como usar a estrutura de três atos

Não existe um segredo para usar a técnica narrativa, basta ler cada um dos pontos à seguir e aprender a desenvolver cada elemento. Não somente, mas é sabido que cada um dos atos tem um tempo dentro da trama, que representam em porcentagem:

  • Primeiro Ato — 25%
  • Segundo Ato — 50%
  • Terceiro Ato — 25%

Primeiro Ato | A Configuração

Se recorde que este ato representa o primeiro quarto do enredo de sua história.

Introdução

Prepare o terreno para o leitor conhecer melhor seu protagonista, sua vida comum, pontos fortes e pontos fracos. Todavia, entenda que ninguém é perfeito e expor cada imperfeição e falhas de caráter pode beneficiar na maior imersão ao seu leitor.

Incidentes e iniciações

Neste momento ocorre a primeira quebra da narrativa, quando um incidente muda o status quo do protagonista. Além disso, sem uma grande provação ou acontecimento, será difícil seu personagem sair do conforto ao qual está acostumado.

Algumas perguntas que podem te ajudar:

  • Quais insatisfações posso explorar para guiar meu protagonista na mudança?
  • O que é necessário para que encontre motivação e busque realizar seus desejos?
  • Quais perspectivas fará meu personagem enfrentar seus medos e tomar uma ação na satisfação do que procura?
  • O quão grave o incidente o afetará para tomar decisão?

Este catalisador de enredo é conhecido como um chamado para a aventura, exigindo do seu personagens diversas reflexões que o levarão a questionar sobre sua jornada.

Ponto de virada do ato 1 ao ato 2

É chegado o momento do nosso protagonista colocar suas hesitações e medos de lado e tomar decisões. Em suma, neste ponto da trama poderá ser inquestionável ou impossível que o protagonista crie uma nova hesitação, seja por aceitar a missão ou por não ter mais tempo a perder.

Portanto, avalie neste ponto um meio de lançar seu personagem para o próximo ato, do qual vamos falar em seguida.

Segundo Ato | O Confronto

Como vimos o segundo ato é o mais longo de todas as etapas, compreendendo boa parte do seu enredo.

Ascenção da aventura

Começa a tomar forma a jornada do seu protagonista, encontrando obstáculos e desafios pelo caminho. A princípio, neste novo ambiente se inicia a compreensão e experimentação do inexplorado novo mundo.

Nosso protagonista conhecerá novos amigos e inimigos, familiarizando com estes e permitindo que o leitor tenha maior imersão em todos aqueles que fazem parte da história.

Bem como, aprendendo sobre si mesmo, seus poderes, amigos e aliados, nosso personagem desbrava o caminho e começa a se adaptar para ter melhores chances de vencer. Desta forma, o personagem sente seu crescimento pouca a pouco.

Grande Plot Twist

Em meio ao crescimento da jornada, no meio do caminho o protagonista passará por um evento sem precedentes, geralmente uma perda ou sofrimento inesperado.

O destino e ordem das coisas está ameaçado, deixando todos os personagens cientes do que está de verdade em jogo. Em suma, trabalhe as emoções e efeitos que possam abalar cada um e ao mundo do seu enredo como um todo.

Ponto de virada do ato 2 ao ato 3

Após passar por complicados momentos anteriormente, o protagonista avança resignado ao seu objetivo, tentando dar rumo mais uma vez a sua jornada.

Momento de reflexão e avaliação do conflito iminente. A princípio, o ponto entre estes atos torna o protagonista menos passivo as situações e com maior pro atividade nas suas tomadas de decisão.

Planeje neste ato como a determinação do protagonista molda seus comportamentos em busca da meta. Além disso, pense em como explorar meios de mostrar a preparação e o momento de espera para atacar.

Terceiro ato | A Resolução

O último ato que corresponde a um quarto de todo o enredo.

Pré-Clímax

O terceiro ato começa com o protagonista preparado para enfrentar o antagonista, mas o mesmo também está preparado para a batalha. Não somente, mas o ato que apresenta a força e determinação desconhecidas frente à adversidades do nosso herói.

Experimentamos tudo aprendido até então na jornada, desconfiando se nosso protagonista será forte o bastante para enfrentar seu desafio. Todavia, mesmo que saiba que vai vencer, o leitor precisa sentir a tensão e incertezas junto com nosso herói.

Clímax

Os momentos finais chegam e mais uma vez o antagonista atinge o nosso protagonista e travam a batalha entre a vida e a morte.

Uma única cena ou capítulo pode solucionar esta questão, enquanto que o pré-clímax bebe da fonte do suspense, este momento é uma sequência de pura adrenalina.

Desfecho

Quando o antagonista é derrotado, ou exilou-se para sempre, o objetivo do protagonista é completado de uma vez por todas, desde que:

  • Cumpra promessas feitas ao leitor durante o enredo, não deixando pontas soltas.
  • Amarrar bem tramas e eventos com suas devidas conclusões.
  • Deixe que a tensão se esvaia e que os personagens sintam os novos sentimentos de paz e tranquilidade.


Na estrutura de três atos conseguimos ver um modelo bem flexível de enredo que pode ser adaptado facilmente. Além disso, entre nós escritores é muito importante ter esta modelagem para a trama.

A vantagem da estrutura de três atos é te ajudar a garantir um caminho seguro e coeso do seu enredo. Mesmo que você já tenha iniciado seu romance, você pode por meio desta técnica ganhar um melhor ritmo na trama e estruturando cada etapa.

Se você quiser saber mais como acertar os desdobramentos do seu enredo, aconselho a ler o artigo de como usar o método Save The Cat em uma história.

Escritor. Especialista em Busca Orgânica & Marketing. Leitor apaixonado por fantasia e ficção científica.

2 Comentários

  • Marileuza Lopes Pereira dos Santos

    Bom dia, senhor Raphael…
    Meus sinceros agradecimentos pelo seu artigo sobre: Estrutura dos Três Atos . Fantástico 👏👏😍… Há muito tempo, procurava entender de forma clara, objetiva as estruturas de como escrever um livro… Deus o abençoe sempre e felicidades… atenciosamente, sua leitora novata … Marileuza Lopes.

    • Raphael

      Oi Marileuza,

      Fico muito contente deste conteúdo poder te ajudar a entender melhor a estrutura. Se sentir falta de algum conteúdo, me avisa que trago aqui pro site, e se puder me segue no Instagram, costuma postar algumas dicas rápidas por lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.